OCCUPY WORLD: Sobre Wall Street e Tiranossauros (por que nós vamos vencer)

Nota do autor: Esse texto fala sobre a expulsão dos manifestantes de Wall Street pela policia na madrugada de hoje, entre outros artifícios que tem sido usados para nos calar, e porque nós vamos vencer apesar de tudo.

Há mais ou menos 65 milhões de anos os Tiranossauros reinavam supremos sobre a Terra. Com presas imensas, um tamanho descomunal e uma capacidade de caça incomparável, ninguém podia com eles. Os mamíferos eram minúsculos, viviam nas sombras, se moviam em silêncio, estavam na base da cadeia alimentar.

Subitamente algo aconteceu. Um meteoro, como um gigantesco Deus ex Machina, se chocou com a Terra levantando uma nuvem imensa de poeira, que tapou o sol por meses, matou as plantas, os imensos dinossauros herbívoros que delas se alimentavam, e conseqüentemente, o Tiranossauro. Os pequenos roedores pré-históricos, que nunca desenvolveram grandes presas ou porte respeitável, haviam aprendido a ser furtivos, a precisar de pouco, a se multiplicar rapidamente. Eles herdaram a Terra.

A beleza infinita da teoria da Evolução de Darwin é que ela pode ser aplicada a qualquer modelo ou organização de espécies desse ou de qualquer planeta onde a vida possa eventualmente figurar. A sociedade humana não é exceção alguma. E por isso eu não estou nem um pouco pessimista – talvez um pouco furioso apenas – com o que ocorreu na ultima madrugada.

Dessa vez até quem só lê Estado de São Paulo está sabendo. Desocuparam Wall Street. NA MARRA. Como hienas, centenas e centenas de policiais cercaram os acampamentos no meio da madrugada (1h20 da manha), ameaçando prender todo aquele que não juntasse suas coisas e saísse em cerca de 20 minutos. Pelo menos 200 pessoas foram presas durante a operação, e o mais interessante é que quase metade desse numero não é representado por acampantes, e sim pessoas das imediações que se indignaram e foram interceder por eles.

Vale dizer que essa não foi a primeira vez que a prefeitura de NYC tentou desocupar a praça. No dia 15 de outubro uma grande operação foi montada, mas eles cometeram o erro de “dar bandeira demais” e acabaram tendo duas mil pessoas não-acampantes encarando de frente a polícia. O prefeito recuou, é claro. Mas aprendeu a lição.

Sendo silenciosa e rápida o bastante, a operação da ultima madrugada fez o que a primeira não conseguiu: Se esquivar furtivamente de uma imensa massa da população de NY que APOIA o movimento. Limpou a Praça da Liberdade rápido o bastante para impedir um imenso enfrentamento publico.

A prefeitura de NY estava esperando um bom motivo para remover a ocupação faz semanas. Mas esse motivo não apareceu: A ocupação foi pacífica, organizada e conquistou rapidamente a simpatia da população de sua cidade e do resto do mundo. A coisa complicou. Como convencer a população de que o cassetete era necessário para preservar a ordem publica, se a ordem publica não havia sido agredida?

O prefeito apelou então para o plano B: A mentira, o silencio. Vamos atacar de madrugada, ele pensou. Vamos fazer isso sem ninguém ver. As centenas de policiais da operação não apenas bloquearam diversas estações de metro e a ponte do Brooklin, para isolar a área: Eles impediram qualquer repórter de se aproximar do local.

Agora, vamos ao questionamento óbvio: Se a policia atende aos interesses do povo (e a maioria da população da cidade apoiava o acampamento), por que agir na calada da noite, longe dos olhos da imprensa e da opinião publica? Por que esconder tudo dessa maneira?

A resposta é uma só: A policia NÃO ATENDE AOS INTERESSES DO POVO. O policial é um ser humano, e ele individualmente atende apenas ao interesse do empregador. O empregador, por sua vez, atende ao interesse do governo. E o governo por sua vez, atende ao interesse do empresário que suborna, que patrocina suas campanhas. Não tem povo aqui. O povo estava na praça, sendo arrastado para a traseira dos furgões.

Infelizmente para eles, as barracas estavam cheias de computadores com webcam. Cada manifestante possuía um celular com câmera, a expulsão foi documentada ao vivo. Foi gerado mais material sobre o assunto, na forma de fotos, vídeos e relatos, do que todas as emissoras do mundo todo conseguiriam exibir por meses.

Abaixo uma reportagem interessante que recebi sobre a brutalidade da policia documentada por essas cameras e celulares. A reportagem foca não apenas a expulsão de Wall Street mas também as expulsões de Seattle e São Francisco que ocorreram quase ao mesmo tempo :

http://rt.com/usa/news/police-occupy-seattle-francisco-503/

O senhor da foto acima tem 84 anos e foi atingido com spray de pimenta. Seu nome é Doril Rainey. Algumas grávidas e adolescentes também foram agredidos de forma semelhante.

Abaixo uma reportagem interessante sobre como a policia tentou esconder a destruição do acampamento, além de ter saqueado a biblioteca montada pela ocupação:

http://www.viomundo.com.br/politica/heloisa-villela-policia-de-ny-tentou-impedir-a-midia-de-registrar-a-destruicao-de-acampamento.html?awesm=fbshare.me_Aeztf&utm_campaign&utm_medium=fbshare.me-facebook-post&utm_source=facebook.com&utm_content=fbshare-js-large&fb_source=message

A informação vazou.

Como reagir a isso?

Bom, o próximo passo é usar um bom lobby sobre as empresas responsáveis pelos grandes veículos de comunicação. Isso está sendo feito nesse exato momento. Eles não precisam convencer TODO MUNDO, apenas uma parcela da população grande o bastante para que os indignados sejam vistos como fogo de palha. Os donos do mundo de hoje não tem tempo para ler blogs ou assistir Youtube, eles estão ocupados demais trabalhando e fazendo o mundo girar.

Observando a situação não é difícil traçar o Modus operandi de nossos inimigos. Como eles SEMPRE vão nos enfrentar, pois foi como fizeram (e funcionou) por séculos:

1- FORÇA FISICA

2- BOICOTE DE INFORMAÇÃO

(alguma semelhança com a desocupação da reitoria da USP na semana passada é mera coincidência)

FORÇA foi o único recurso necessário para dominar o povo durante séculos de existência humana. Quando nasceu a democracia (ou pelo menos o ideal de democracia) nasceu uma forma de dominação ainda maior: A INFORMAÇÃO.

Se a vontade da população define o governo, manipulando a vontade da população se manipula o governo. Bingo. 1+1=2.

Só que da mesma forma que o Tiranossauro fazia quando reinava supremo, nosso inimigo se acostumou a usar os recursos que possui a seu favor. Ele se acostumou a estar por cima. Por isso mesmo agora nosso inimigo abriu uma imensa brecha estratégica. O espaço na armadura onde nós vamos cravar nosso golpe.

A internet veio como um meteoro e se chocou contra seu mundo de certezas cenográficas. E a responsabilidade de usar esse novo recurso reside em cada um de nós. Sem exceção.

A teoria da evolução atesta que as espécies que melhor se adaptam a um ambiente acabam vigorando, espalhando melhor seus genes, prevalecendo. A constante mudança de ambientes provoca subseqüente constante mudança de espécies dominantes. É por isso que esse espaço geográfico urbano onde você mora não está cheio de Alossauros ou Tigres Dentes de Sabre. O que é força em um momento se torna fraqueza no momento seguinte.

Nós somos a próxima espécie. Nos vamos herdar o planeta.

Se a vontade da população define o governo, RETOMANDO o controle sobre a comunicação, levaremos a verdade para a população. Assim retomaremos o governo. Bingo. 1+1=2.

O que nós devemos fazer?

1 – QUANDO DECIDIREM USAR FORÇA CONTRA NÓS, TEMOS QUE DENUNCIAR, DOCUMENTAR, TORNAR SUA VIOLENCIA PUBLICA. EXPOR SUA FEIURA. PARA ISSO PRECISAMOS SER IMPECÁVEIS. NÃO DAR MOTIVO. NUNCA BATER PRIMEIRO

2 – QUANDO ELES MENTIREM, QUANDO DISTORCEREM A INFORMAÇAO, TEMOS QUE ASSUMIR O PAPEL QUE A MIDIA NEGLIGENCIOU. ESCREVER. FALAR. COMUNICAR O ESCONDIDO.

Ao menos que eles “desliguem a internet”, o que não é possível simplesmente porque o sistema que alimenta o poder DELES já depende muito dessa tecnologia, eles não tem como enfrentar isso.

E não nos esqueçamos de que apenas 10% da população do planeta tem acesso à internet. Ela sozinha não bastará. Teremos que falar com as pessoas, criar redes, envolver, continuar indo às ruas, chamando a atenção. Pressionando.

O uso constante dessa tática, a repetição, a insistência, vai acabar vencendo. E se eles criarem um recurso novo, que não está sendo considerado, nós somos maioria. Nós temos menos a perder. Nós formularemos um contra-ataque.

Hoje nós não somos exatamente 99%. Somos uma minoria desses 99% que acordou. Por meio dessa tática, nós vamos aumentar nossos números. Vamos fazer jus ao nosso slogan. Hoje a caneta é mais forte do que a espada, mas tem gente demais usando a caneta contra nós, precisamos aumentar nossos números.

No momento que conseguirmos, no momento que o domínio da informação for nosso, nós teremos que lidar com outro tipo de problema: Eles ainda terão a força. E encurralados, eles nos enfrentarão.

Não se enganem. Dificilmente essa etapa do processo será pacifica. Eu adoraria dizer que sim, mas não posso prometer isso. Mas SE em algum momento nós tivermos que soltar a caneta e segurar a espada, nesse momento nós seremos MESMO uma maioria absoluta.

Nossas multidões terão se erguido por toda a parte, em números infinitamente maiores do que os que se ergueram no dia 15-10 ou no 11-11. E nesse momento, nós vamos vencer.

Hora de segurar a caneta…

Nós temos um mundo para retomar…

…..

NOTA: Poucas horas após a expulsão, os manifestantes já haviam conseguido uma liminar para voltar para a Praça da Liberdade. O governo liberou o retorno, devido a imensa pressão da população, sob a condição de que as barracas não fossem instaladas por enquanto.

Eles ocuparão não apenas a praça da liberdade mas também as proprias ruas de Wall Street. Indignados do mundo todo já prometem novos levantes.

Na sexta feira, 18/11, mais 200 pessoas foram presas, dessa vez devido a protestos realizados em Wall Street, totalizando 300 pessoas presas em apenas uma semana.

O movimento Ocupe Wall Street anunciou planos para cerca de mais 30 ocupações e garantiram que mesmo durante o rigoroso inverno americano se revezarão em turnos para manter ocupação simbólica.

Ao mesmo tempo, a prefeitura de Londres e provavelmente outras ao redor do mundo buscam recursos legais para expulsar seus ocupantes. A saga continua e cabe a nós decidir como ela vai terminar.

Acompanhe ao vivo tudo o que rola nas ocupações do mundo no seguinte livestream:

http://occupystreams.org/item/occupy-wall-street-nyc


12 Comentários on “OCCUPY WORLD: Sobre Wall Street e Tiranossauros (por que nós vamos vencer)”

  1. luis disse:

    Muito bom texto. Eh isso ai, nos temos a forca! Nos acordamos! agora eh seguir, bater na mesma tecla, lutar ateh que todos os 99% acordem tbm!

    Unidos venceremos!

  2. Paty disse:

    Oi Igor!

    Gostei do texto – como sempre – e tento ao máximo me esforçar em acreditar que irá acontecer essas mudanças drásticas no sistema, tal como o conhecemos hoje. Como muitos, aflijo pelas consequências que toda mudança acarreta, e no trauma que isso gera. Como você disse, a força dos grandes é assustadora, e eles vão fazer de tudo – de tudo mesmo – para evitar que alguma coisa mude. Embora eu também quisesse acreditar que essa mudança pudesse ser pacífica, creio que não, ela não será pacífica de forma alguma. Eles vão usufruir da força que possuem, da violência, do desespero geral, para que consigam manter aquilo que eles tem a tanto tempo.
    Quem não está preparado para isso, logo é tomado pelo pânico, e prefere desejar que as coisas continuem do jeito que está, mesmo que este não seja o ideal, e mesmo que este esteja muito distante de ser ideal – ou até mesmo “aceitável”. É igual ao que acontece em todas as ditaduras, e que é belamente estampado pelo “V de Vingança”: o medo. O medo controla as pessoas, as domina – e isso eu digo em todos os aspectos, não somente pela política/sistema. As religiões são outros bons exemplos para provar o quanto o medo nos deixa bobos.
    Precisamos ter cautela com nossos passos; é preciso fazer com que as pessoas (as de baixa renda, as que não tem acesso à internet, as que não entendem do sistema, as principais prejudicadas) entendam tudo o que está acontecendo, e entendam a necessidade da mudança. E que não precisam ter medo. Mas elas tem; tem medo de que se alguma coisa der de errado nesse movimento massivo em busca de mudanças, alguma consequência recaia sobre elas. Elas afligem do poder daqueles que estão acima delas; temem serem castigadas. Sei disso apenas com uma breve conversa que já tive sobre o tema com uma conhecida minha, de classe social baixa. Mora na periferia, tem quatro filhos pra sustentar, e o dinheiro é contado para cada dia. Não tem internet, muito menos computador; tem dificuldade em entender o sistema e o processo de tudo, e as notícias a confundem. E detalhe: pessoas como ela, são a grande maioria em nosso país. Mas sabe o que é o mais impressionante? É que, mesmo ela sendo de origem super simples, sem muitos estudos na vida, e sem ter acesso à internet, ela sabe que tem alguma coisa errada. Ela SABE de alguma maneira que algo não está certo; ela não sabe descrever o que é, mas ela sente que há algo incômodo na sociedade. Pode não saber também questionar isso, ou debater sobre o assunto, mas ela sabe que algo vai mal. Precisamos fazer com que esses debates, essas notícias, cheguem aos ouvidos desses que mal sabem o que está acontecendo, e explicar para que serve todos esses acontecimentos. É o nosso dever ajudar a esclarecer as pessoas, a elevar suas consciências perante o mundo, para que assim a gente consiga finalmente juntar um número realmente ameaçador de pessoas – e não, isso não é uma tarefa fácil. Aliás, é bem complicada…
    A questão é: como?

    • igorius2011 disse:

      Paty isso que voce falou sobre dialogar com as classes mais baixas (que nao tem acesso a internet, etc) é tao importante que eu vou incluir isso no texto : )

      Obrigado pela excelente participação !!!!
      Um beijo enorme e continue acompanhando !!!

  3. Anônimo disse:

    1% NÃO pode com 99%

  4. marci disse:

    Apesar de achar esse movimento vazio do ponto de vista ideologico( a meu ver o incomodo deles é apenas com a perda de privilegios e nao estao nem um pouco preocupados com o resto do mundo e tudo que ha de errado, em grande parte, graças aos eua), penso que é importante porque serve pra desmascarar a grande farsa que é esse pais abutre chamado estados unidos, que de democratico nao em é nada!!

    • igorius2011 disse:

      Marci,

      Acredito que a queda de seu nivel de vida tenha influenciado em muito sim e funcionado como “gatilho” para o movimento. Não é a toa que ele esta fervendo nos EUA, em plena crise, e também na Espanha, Italia e outros países em crise ainda maior na Europa …

      O crescente numero de desempregados, a perda de casas, a queda do padrão de vida, isso tudo desencadeou essa tal “INDIGNAÇÃO”.

      Mas acreditar que a partir desse momento de “epifania” dessas pessoas, tudo o que lhes importa é recuperar o velho status quo, isso é muita falta de fé na humanidade.

      Talvez voce esteja certa, mas gosto de pensar que essas dificuldades apenas abriram os olhos desses manifestantes para algo maior e mais profundo. Abriram seus olhos para um questionamento sobre os caminhos que nossa sociedade está levando, sobre os miseráveis de países a milhares de quilometros de distancia, sobre o esgotamento de nossos recursos naturais.

      A raiz de tudo isso é uma só: Um sistema neoliberal em plena decadencia, entupido de tanta maquiagem e cirurgia plástica durante anos que virou um monstro medonho….

      Leia os outros textos de meu blog, o “O que nós queremos afinal” e o “Porque o capitalismo nao é a resposta” e “Porque o socialismo nao é a solução”. Depois me fala o que achou, queria muito saber sua opinião.

      Beijo grande ! Terça feira tem post novo !!

  5. marci disse:

    Oi Igor, devo confessar que ando deveras descrente na humanidade, mas, à parte isso, sou uma “incorrigivel apreciadora de seres humanos, dentre outros” e continuo lutando por ela!
    Agora, um mundo que assiste o massacre de crianças líbias, afegas, iraquianas, africanas( so pra citar a pior parte), indiferente e mais preocupado com roupas de gripe e aparrencia, sera que tem jeito?
    Abraço

    • igorius2011 disse:

      É dificil, mas tento acreditar que tem. No momento que parar de acreditar, fecho meu blog, mando todo mundo pra pqp e vou morar na floresta … hahahaah

      Continue visitando, hoje a noite tem texto novo !

      • Paty disse:

        Acho que a grande tendência das pessoas se preocuparem com roupas de grife e aparências, bens materiais e outros supérfluos, se venha justamente por causa desse sistema em que vivemos hoje.

        As pessoas ficaram presas em algo que não conseguem sair, não conseguem controlar, não conseguem mudar. Porém, neste mundo e neste sistema, há muitas “distrações” que o dinheiro pode comprar, e tira a nossa atenção das nossas principais necessidades – os nossos laços com todas as pessoas próximas, nossa compaixão, nossos sentimentos, nossas amizades e nossa espiritualidade e bem-estar mental. As pessoas ficaram CEGAS. Algumas porque querem ficar cegas, outras porque realmente nem notam o quão cegas são perante o mundo. Sabe, você é obrigado a trabalhar feito um cão, largar mão da convivência com a sua família, seus amigos, seus sonhos, para ganhar algum dinheirinho. Porém, esse dinheirinho precisa ser dividido para pagar imposto, comprar comida, pagar contas triviais do dia a dia, dentre outras despesas. Daí o que sobra? Em base disso, vem o questionamento: qual a COMPENSAÇÃO disso tudo? Qual o sentido da vida, senão pagar para nascer, viver e morrer? ‘Bora então comprar um carro novo. “Eu mereço”, é a resposta de muitos. “Trabalho tanto pra quê?”, dizem mais alguns. Vamos tentar ficar mais jovens! Já que a juventude inteira é perdida em meio à tanto estresse e neuras da vida de um recém ingresso da vida de um trabalhador, e a grana é curta, e todo o corpo vai para o saco (porque alguns nem se alimentam direito, outros não tem tempo para fazer exercícios, e o corpo vai sendo consumido aos poucos…), vamos torrar o dinheiro em tratamentos estéticos! Não tem grana? Então vamos beber! Ora, lá no bar a pinga é barata, e pelo menos me faz esquecer das dívidas que fiz ao comprar meu carro novo… E se a bebida não for suficiente, bom, tem um leque de opções de entorpecentes por aí…

        Essas “distrações” acabam conosco, com a nossa essência. Sabe, eu acho que as pessoas estão cegas, amarradas e trancadas em um quarto escuro, se deformando lá dentro, gemendo de dor, sem saber o que está causando essa dor – elas não enxergam, estão vendadas; não conseguem tirar a venda, porque seus punhos estão amarrados. Não conseguem nem se debater! Porque seus corpos estão tão fracos e esquálidos, que mal tem forças para ficarem de pé… O problema de muitas é que se afundam nas frustrações da vida incompleta (e que não entendem o por quê de ser assim tão incompleta), e depositam todas as suas expectativas em bens materiais (que proporcionam um prazer momentâneo, efêmero, que em breve se desfaz, dando lugar ao vazio), em pessoas próximas (e as culpam por não fazerem a sua real felicidade), em religiões (algumas que nos controlam tanto quanto o sistema)…

        E a vida continua assim…

        Porém, quando as pessoas começam a notar que o dinheiro lhe falta, e que as distrações podem não mais fazerem parte de suas vidas, pode ser que essas pessoas comecem a enxergar algo que não estavam vendo antes. Era a mãozinha que faltava para ajudar a tirar a venda dos olhos; o empurrãozinho para tentar se erguer das trevas. Aquela coceirinha no âmago de seu ser que indicava que a vida não era para ser assim; que realmente havia algo de errado, mas que ela tinha medo de falar, de contestar, de ser chamada de “neurótica”. Sua garganta começa a ralar; ela sente que tem voz própria!

        E a partir daí, ela consegue ver que consegue gritar.

        E muitas dessas pessoas estão começando a gritar, e cada vez mais alto. O motivo principal pode até não ter sido o melhor de todos, mas com isso, muitas outras pessoas estão vendo que conseguem gritar também, e que juntas, conseguem pensar em algo realmente melhor para todos; conseguem se mexer sozinhas; que são independentes de qualquer forma de controle.

        Logo mais, essas pessoas vão descobrir que são fortes quando estão juntas, unidas pela mesma causa; e essa descoberta será determinante para a mudança do mundo.

    • igorius2011 disse:

      CARALHO PATY ! LINDO ISSO !

      Vc resumiu muito ! As pessoas adotam estilos de vida que nao queriam adotar, e para compensar a sensação de vazio causada por vidas sem significado, elas consomem. E consomem. E consomem. E para isso se afundam mais na vida vazia e sem significado. E consomem. Consomem.

      Hamsters presos em uma rodinha, correndo, girando a economia. Combustivel humano. Gasolina de carne e osso …

      O Occupy é lindo pois me parece ser um começo de madrugada, depois de uma longa noite. São pessoas começando a acordar …

  6. […] meu artigo “Sobre Wall Street e Tiranossauros” eu procurei deixar bem claro o que entendo sobre as duas principais ferramentas utilizadas pelo […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s